CFVV CFVV Author
Title: Estado apoia restauração de locomotiva
Author: CFVV
Rating 5 of 5 Des:
A propósito da matéria veículada na Tribuna de Petrópolis, 01/08/2011 intitulada "Estado apoia restauração de locomotiva", há algu...
A propósito da matéria veículada na Tribuna de Petrópolis, 01/08/2011 intitulada "Estado apoia restauração de locomotiva", há alguns erros na matéria devido ao desconhecimento do repórter, pois ao "comprar o que lhe foi vendido" pela assessoria de Imprensa do Estado, deveria ter consultado outra fonte. Vejamos:

1) A locomotiva não tem 16 lugares, impossível: O que tem 16 lugares é a jardineira (um vagão com bancos, adaptado para receber passageiros);
2) Não se trata do primeiro trem a vapor do Estado, bobagem: no começo dos anos 1990, operava uma bela maria fumaça aqui pertinho em Miguel Pereira. Parou quando a linha foi privatizada e nunca mais retornou, e ela foi para Passa Quatro, MG.
3) Existem dois trens a vapor no Estado do Rio: Um está na Fazenda Mato Alto em Mangaratiba, e é particular; o outro é em Grussaí, em São João da Barra, Norte do Estado, na Colônia de Férias do SESC Mineiro. Notaram? SESC mineiro!!
Por fim, parabéns a Talis Lelis pela corajosa iniciativa e ao Governo do Estado.


Enquanto isso, nós petropolitanos ficamos a espera do Estado e Prefeituras de Petrópolis e Magé decidirem assinar um ACT-Acordo de Cooperação Técnica, para promover a volta oficial do trem Rio-Petrópolis. Vai fazer um ano que esse acordo está para ser assinado e... nada!


Colaboração de A. Pastori - Presidente da AFPF Rio de Janeiro
Associação Fluminense de Preservação Ferroviária 


Um trecho do percurso do trem da Estrada Real poderá ser finalmente reativado. Apresentado à Secretaria de Estado de Turismo, o projeto prevê a reforma da locomotiva a vapor Baldwin, fabricada em 1910, com capacidade para 16 pessoas sentadas, que se encontra atualmente parada em um galpão da cidade de Paraíba do Sul, no Sul Fluminense.
O projeto pretende preservar uma parte da história e resgatar o hábito de utilizar o trem como transporte de passageiros. Este será o primeiro trem a vapor restaurado e em funcionamento do Estado do Rio de Janeiro. O trecho de 14 quilômetros será da estação localizada no centro de Paraíba do Sul até o 4º distrito do município, Estação Cavaru.

Para o chefe de Gabinete da Secretaria de Turismo e coordenador geral de Convênios, Marcos Pereira, este é um importante passo para incrementar o turismo ferroviário do estado e, principalmente, fomentar e desenvolver a atividade turística do interior."As ferrovias desempenharam um papel de extrema importância no desenvolvimento do nosso estado. Está na hora de recuperarmos este patrimônio, dando aos nossos visitantes a oportunidade de conhecer um pouco da história e do trajeto dos trens fluminenses".

A cidade de Paraíba do Sul faz divisa com o estado de Minas Gerais. A ferrovia teve importante papel na história da cidade. Segundo Pereira, outras ações serão desenvolvidas para o município, com o objetivo de incrementar a atividade turística no local. Entre as ações, estão a produção de material publicitário dos atrativos turísticos, capacitação de mão de obra e sinalização turística.

A concessão desse trecho do trem da Estrada Real ficará sob a responsabilidade da Tocaia Turismo, representado por Talis Lelis, que está em busca de parcerias para o desenvolvimento do turismo de Paraíba do Sul.

"O apoio da Secretaria de Turismo é essencial para a consolidação do projeto. Já temos a parceria com a Associação Brasileira de Operadores de Trens Turísticos e Culturais (ABOTTC) e do Sebrae Nacional, que estão colaborando na capacitação das 20 microempresas que ficam no entorno do percurso do trem. A maria fumaça voltará a pleno vapor", celebrou.

About Author

Advertisement

Postar um comentário

Anônimo disse... 7 de agosto de 2011 11:13

VAMOS CUTUCAR AS ARTORIDADES QUE O TREM ANDA... SE NÃO CUTUCAR NÃO SAI DO PAPEL NEM EM DUZENTOS ANOS!
ABRAÇOS A TODOS

Anderson Nascimento disse... 7 de agosto de 2011 15:44

O Estado do Rio de Janeiro não consegue mais se lembrar nem de suas origens. Os trens que traziam tantas pessoas para desenvolver esta estado. O Rio esqueceu dos trens e de seu patrimônio, onde moro, Barra Mansa, os prédios históricos das Oficinas da RFFSA estão caindo. O trem de passageiros que seguia para Minas Gerais já não existe mais, e só restaram saudades. O Brasil esqueceu dos trilhos. Ainda bem que existem pessoas que buscam e lutam contra este esquecimento.

VictorEstanis1988 disse... 7 de agosto de 2011 21:10

Essa locomotiva esta inteira e volta a rodar facilmente. Tomara que de certo. Bem que podiam fazer replica de 3 carros de passageiros para ela puxar.

 
Top