Anderson Nascimento Anderson Nascimento Author
Title:
Author: Anderson Nascimento
Rating 5 of 5 Des:
Três Corações , um deles, com certeza, FERROVIÁRIO ... Três Corações é um município brasileiro do estado de Minas Gerais . Com cerca d...
Três Corações, um deles, com certeza, FERROVIÁRIO...

Três Corações é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Com cerca de 828 km² e 72 mil habitantes é um dos principais centros urbanos do sul do estado. Situa-se a cerca de 287 km de distância da capital estadual, Belo Horizonte. É a terra onde nasceu Edson Arantes do Nascimento, Pelé.
Terra do Rei Pelé

O distrito de Três Corações do Rio Verde deve sua criação ao decreto datado de 14 de junho de 1832. A Lei Provincial nº. 3.197, de 23 de setembro de 1884, criou o Município com denominação de Três Corações do Rio Verde e território desmembrado de Campanha, tendo-se verificado a instalação a 10 de julho de 1885. Em virtude da Lei Provincial nº. 3.387, de 10 de julho de 1886, elevou-se a categoria sede do município e também do distrito, que teve sua criação confirmada pela Lei Estadual nº. 2, de 14 de setembro de 1891. Por força da lei nº. 843, de 1923, o município passou a denominar-se simplesmente Três Corações. A versão oficial provém da Capela erigida por Tomé Martins em louvor aos Sacratíssimos Corações de Jesus, Maria e José.
A pecuária tem destacada participação na economia do município, através de seu rebanho leiteiro e gado de corte, sendo o gado leiteiro um dos melhores do Estado.
As culturas do café, milho e batata inglesa são de grande expressão econômica, seguindo-se em menor escala as de feijão, arroz e frutas regionais. No ano de 2009 foi considerada uma das maiores produtoras de milho da região, ganhando destaque nacional.
A política de desenvolvimento industrial, associada à implantação de áreas destinadas a novas empresas, tem concorrido, de forma significativa, para a diversificação da produção. Como resultado da conjugação de suas potencialidade, recursos e sua estratégica posição geográfica, Três Corações oferece inúmeras oportunidades de investimento. O município dispõe de um Distrito Industrial, localizado às margens da Rodovia Fernão Dias (BR-381), ocupando uma área de 2.634.944,47 metros quadrados, que a cada dia se firma como um dos mais promissores pólo industriais do Sul de Minas. A cidade possui também um mini distrito, situado na estrada Três Corações / São Bento Abade, com área de 50.380 metros quadrados, pronta para receber empresas de pequeno porte.
O principal recurso natural (mineral) é a pedra São Tomé, de grande aplicação no ramo de construção civil. O município possui dinâmica atividade comercial, tanto atacadista como varejista.
Vista Parcial de Três Corações MG

No setor industrial destacam-se as industrias de produtos derivados do leite (leite em pó, manteiga, queijo), metalúrgicos (esquadrias metálicas, botijão de gás, rodas de aço para automóveis, roda de liga leve, fios de cobre, fundição), fábrica de ração, fertilizantes, couro, calçados, pré-moldados de cimento, produtos químicos, refrigerantes, cromação e niquelação de metais, móveis, piscinas de fibra de vidro, brinquedos de plástico, colchões, aparelhos de sinalização, semáforos, desinfetantes, doces, bolsas e cintos de couro, vassouras e confecções.
Terminal Rodoviário de Três Corações
Em frente ao complexo ferroviário da cidade, ponto forte ao turismo e desenvolvimento.
Mobilidade urbana eficaz se utilizada!

No ensino médio Três Corações possui uma escola entre as melhores instituições do Brasil. No ENEM 2006 o Colégio União ficou em 16º lugar entre as escolas do país.
Situada em Três Corações, a Escola de Sargentos das Armas (EsSA) do Exército Brasileiro, é o estabelecimento de ensino militar do Exército responsável pela seleção e formação dos sargentos de carreira das Armas do Exército Brasileiro: Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia e Comunicações, que são as chamadas “armas” com atuação na linha de frente do combate. A cidade é sede da Universidade do Vale do Rio Verde (UninCor) com cursos de Odontologia, Medicina Veterinária, Direito, Psicologia, Serviço Social, Pedagogia, Música, Ciências Contábeis, Pedagogia, Logística, e Gestão de Produção Industrial.
Ponte Ferroviária de Três Corações MG

Três Corações e A Ferrovia

A Estrada de Ferro Minas e Rio se originou de uma concessão feita em 1875, pelo Governo Imperial a José Vieira Couto de Magalhães e ao Visconde de Mauá, com a denominação de Estrada de Ferro Rio Verde. Em agosto do mesmo ano, os engenheiros Raimundo Teixeira Belfort Roxo e José Wirth foram encarregados, por aquele Governo, da verificação, no terreno, dos respectivos estudos.
Em maio de 1876 foi aceite o projeto de entroncamento na 4ª Seção da Estrada de Ferro D. Pedro II, sendo designada a povoação de Três Corações do Rio Verde para término da linha.
Em Londres, a 24 de Abril de 1880 organizou-se uma companhia com o nome The Minas and Rio Railway, com o fim de construir a estrada. Para que essa Companhia pudesse funcionar no Império, o Governo Imperial deu a respectiva autorização, pelo Decreto n. 7.734, de 21 de Junho de 1880.
Em 21 de Abril de 1881, tiveram começo os trabalhos de construção, tendo sido em 3 de Maio, aprovada uma modificação no traçado da linha nos seis primeiros quilometros (distância que hoje corresponde ao trecho de Cruzeiro a Rufino de Almeida).
Chegando a 1884 os esforços foram concentrados na perfuração do túnel na Serra da Mantiqueira. Marc Ferrez, fotógrafo da família imperial, documentou a construção da Minas and Rio Railway, registrando a visita às obras de abertura do túnel da Mantiqueira, efetuada em junho de 1882. Em março de 1883, quando as linhas não estavam concluídas, foi inaugurado o túnel com a presença do Imperador D. Pedro II.
A construção da estrada findou em 1884. No dia 14 de junho desse ano foi ela aberta ao tráfego desde Cruzeiro até Três Corações do Rio Verde, com extensão de 170 km.
Em 1902, a inglesa The Minas and Rio Railway devolve a concessão ao Governo Federal que é repassada a administração de um grupo nacional em seguida.
Em 1908, a Estrada de Ferro Minas e Rio incorpora a Estrada de Ferro Muzambinho e em 1910 é incorporada pela Viação Férrea Sapucaí, formando Companhia de Estradas de Ferro Federais Brasileiras Rêde Sul Mineira.
Dos 170 km ferrovia apenas 20 km continuão em operação sob a guarda da Regional Sul de Minas da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, que mantém o km 24 ao 34, operando o Trem da Serra da Mantiqueira em Passa Quatro MG e os Kms 80 ao 90, operando o Trem das Águas que mantém viagens regulares de São Lourenço a Soledade de Minas. Atualmente o trecho de São Sebastião do Rio Verde a São Lourenço (km 60 ao 80) encontram-se em restauração pela ABPF - Regional Sul de Minas e pretende-se utilizar para operação do Trem das Águas a partir de 2012 ou 2013.
Além disso o patio ferroviário de Cruzeiro onde a linha fazia conexão com a Estrada de Ferro Central do Brasil ainda é operado no seu setor de bitola larga pela MRS e parcialmente no setor de bitola estreita onde a Regional Sul de Minas mantém suas oficinas de reparação pesada de locomotivas a vapor.
Os demais trechos da ferrovia se encontram em completo abandono pelo governo federal, com exceção do pátio da estação de Três Corações que é usado pela FCA.




 


As Estações de Três Corações


Estação Três Corações
A estação de Três Corações do Rio Verde foi aberta em 1884 pela E. F. Minas e Rio, ainda em terras do então município de Campanha. Era então o ponto final da ferrovia, até a absorção da E. F. Muzambinho, que saía dali para Varginha, pela E. F. Minas e Rio. A linha foi unificada a partir de então. De Três Corações saía o ramal de Lavras, que levava para a cidade do mesmo nome, daí seguindo o trem para Belo Horizonte. A estação funcionou para passageiros até 1982. "O prédio está abandonado. Curioso, a RMV 213, uma 'ten wheel' está exposta permanente ao lado da estação, em um stand totalmente preservada, e é o único sinal de que o passado ferroviário da cidade não está totalmente morto. O tráfego não existe na linha que vem de Cruzeiro. Raros cargueiros vem de Lavras. A FCA usa o pátio, sujo e mal cuidado (semi abandonado) para estacionar vagões (neste dia havia um grupo deles, hoppers HFD e box), tanto com emblema da FCA quanto da EFVM. A antiga oficina foi totalmente depredada, só restam ruínas (embora o prédio ainda esteja de pé) e vagões abandonados, apodrecendo no tempo e sujeitos a todo tipo de vandalismo" (Gutierrez L. Coelho, 03/2005).


Estação Três Corações MG - 2009

Estação Três Corações MG - 2010

Estação Três Corações MG - 2012


Estação Flora
A estação de Flora foi inaugurada em 1896 ainda pela E. F. Muzambinho. A estação já foi demolida. No distrito de Flora, no município de Três Corações, ainda residem muitos dos antigos funcionários hoje aposentados da RMV, REFESA e VFCO.
Sobrevivem a caixa d'água que abastecia as locomotivas a vapor e a plataforma. Segundo informações, essa caixa é tombada pelo patrimônio histórico. A data é perfeitamente visível no corpo dela: "1891 - London". É um local muito simpático, existem muitos barzinhos nas imediações e as pessoas de Varginha e Três Corações aparecem por lá nos finais de tarde. Os trilhos estão ainda bem conservados.


Estação Flora 1979

Estação Flora 2002 - Demolida

 
Estação Cota
A estação de Cota foi aberta em 1902. Fica à beira do rio Verde. "Em Cota, encontramos a estação habitada, à exemplo de São Tomé. Nesta, quem a ocupa é um ferroviário aposentado, que trabalhou na RFFSA em Sapucaí, Três Corações, Lavras e algumas outras. Depois de aposentar, ocupou a Estação de Cota que fica à beira do Rio Verde, para evitar que fosse demolida.

Estação Cota 2005



Estação São Tomé
A estação de São Tomé foi aberta em 1884; era uma das originais da linha primitiva. "Os trilhos ainda estão por lá, se bem que por longos trechos não se os vê por estarem enterrados ou cobertos de mato. Por lá também os moradores falam que há planos para reativação do trecho, ou então que houve visita recente do pessoal da ferrovia verificando a condição da linha. Pode até ser, mas a linha está num estado de penúria".
(Douglas Razaboni, 07/2004)


Estação São Tomé - 1907

Estação São Tomé - 2005
Fonte:


About Author

Advertisement

Postar um comentário

Aloizio Barros disse... 13 de agosto de 2015 14:43

Prefeituras criam projetos para reutilizar linhas férreas no Sul de MG
Projetos podem contemplar 15 km em Três Corações e Varginha.
Linhas podem ser transformadas em ruas e centros culturais.
G1 -12/08/2015

Senhores (as),

Ferrovia mais uma vez vai virar rua para carros. Só no Brasil isso acontece! Ao invés dos prefeitos destas duas cidades, Varginha e Três Corações, criarem um projeto para reaproveitar todo o trecho da ferrovia dentro dos municípios, com a criação de um VLT (veículo leve sobre trilhos) ou algo como uma espécie de bonde moderno por exemplo que atendesse toda a faixa cortada pela ferrovia na cidade, tirando das ruas, muitos dos malditos ônibus urbanos e diminuindo assim os congestionamentos, melhorando consequentemente o tráfego de carros, não, preferem erradicar a ferrovia e mais uma vez carros, ônibus e caminhões, saem vitoriosos. Apelo para os administradores que estão no comando de cidades importantes como Varginha e Três Corações e que poderiam com a ajuda de gente com o mínimo de conhecimento sobre mobilidade, aproveitar os trilhos e a via permanente já aberta, para nela colocar um meio de transporte rápido, que não polui, silencioso e que é futuro de todas as cidades de meio (como as duas em questão) e de grande porte. Olhando as fotos na reportagem, dá pena de saber que em breve todas estas linhas estarão cobertas pelo maldito asfalto, com um nome de algum político famoso na placa da nova rua inaugurada, inviabilizando a volta do trem no futuro e impossibilitando a criação de um meio eficaz de transporte de passageiros urbano que é o VLT ou o bonde. Sou projetista e tenho minhas desconsiderações com relação a arquitetos, pois eles olham o belo que a eles agradam e nunca o prático. Fico triste de ver uma arquiteta que ao invés de apresentar um projeto de reaproveitamento das linhas, não, apresenta um projeto de beleza, de cultura...Faz falta cultura? Claro, cultura é tudo, mas aliado à cultura , ao belo, podem vir a locomoção e o aproveitamento destas linhas históricas. Esta minha cara arquiteta, seria a melhor "leitura harmoniosa" e a melhor aula de história para as novas gerações, que não sabem o que é uma ferrovia e seus benefícios. Quando é que neste país sem comando, alguém com razoável senso de responsabilidade e inteligência, vai acordar e ver que ferrovia é essencial?Acho que nunca, pois desde JK, criou-se a cultura de destruir a ferrovia e valorizar as rodovias que matam milhares de pessoas. Criou-se a cultura do carro e jogaram a ferrovia no lixo. Com isso o Brasil entrou num gargalo e hoje perdeu competitividade pois não tem como escoar com qualidade sua produção. Veja a China, Estados Unidos, Canadá, toda Europa, Japão...todos, tem na ferrovia a base do transporte de carga e passageiros. Mas esqueço que INFELIZMENTE estou no Brasil, onde os cartéis mandam e desmandam. Antes de destruírem estas linhas que trouxeram o progresso para estas cidades, senhores prefeitos, acordem e as salvem. Criem para elas um projeto de mobilidade sobre trilhos e ajudem a diminuir a poluição, os engarrafamentos e estarão entrando para a história. Daqui a alguns anos, serão vistos como heróis e não como vilões. A escolha é de vocês.

CFVV disse... 13 de agosto de 2015 15:18

AS PREFEITURAS PODEM PROPOR O QUE QUISEREM, PORÉM A LINHA EMBORA ESTEJA EM DESUSO EMPORÁRIO É DE CONSESSÃO DA FCA, DNIT E NÃO PODEM DE FORMA ALGUMA NEM DE LONGE, FAZER O QUE QUEREM POR ALI.
LIGUEI HOJE PARA VLI QUE ESTÃO ACELERANDO O PROCESSO DE REOCUPAÇÃO LINHA ADIANTANDO NOSSO PROJETO TREM EXPRESSO DO REI PARADO POR BUROCRACIA INTERNA DA VLI.

SOMENTE NÃO NOS INTERESSA CHEGAR ATÉ VARGINHA, ATÉ PORQUE A POPULAÇÃO DE VARGINHA PARECE NAO QUERER UM TREM TURÍSTICO RODANDO POR LÁ. ELES QUEREM MESMO É VER O ET DE VOLTA PARA FAZER MAIS MARKETING.

ESTAMOS TRANQUILOS QUANTO AO NOSSO TREM, ATÉ PORQUE A VLI JÁ TERMINOU O CONTRATO DE USO DA LINH E JÁ VAMOS ASSINAR. AQUI EM LAVRAS AS OFICINAS ESTÃO SENDO RECUPERADAS A CADA DIA UM POUCO E ESTA SEMANA QUE VEM LIGARÃO A AMV- APARELHO DE MUDANÇA DE VIA, QUE DIRECIONA PARA ENTRAR DENTRO DELAS.

JA NOS DERAM UMA LITORINA QUE DEVE VIR PARA CA PARA SER PREPARADA PARA RODAR INICIALMENTE ENTRE LAVRAS E TRES CORAÇÕES.

DEPOIS DISSO A MATÉRIA DA EPTV NÃO CONDIZ DOM A VERDADE, POIS LIGUI PARA A VLI EM BRASILIA E ELES FICARAM ESCANDALIZADOS COM O TEOR DA MATÉRIA. POR CONTA DISSO ME ENVIARÃO UM DOCUMENTO DESMENTIDO TUDO E REAFIRMANDO OS AVANÇOS PARA O TREM TURISTICO COMEÇAR A RODAR.

É MUITA LADAINHA PARA POUCO CONHECIMENTO DA VERDADE. JA CHAMEI A EPTV AQUI VÁRIAS VEZES PARA ATUALIZAR SOBRE O ASSUNTO, MAS PARECE QUE NÃO SE INTERSSARAM, MAS COMO O ASSUNTO LÁ É CONTRÁRIO, ELES PUBLICARAM PORQUE O MAL FEITO SEMPRE DA MAIS IBOPE QUE O BEM.

 
Top