Cesar Mori Junior Cesar Mori Junior Author
Title: Paraná investe pesado no turismo de luxo
Author: Cesar Mori Junior
Rating 5 of 5 Des:
Danielle de Sisti Fotos: Daniel Derevecki/O Estado Decoração em estilo clássico tem peças importadas, um investimento de 250 mil euros. A...

Danielle de Sisti

Fotos: Daniel Derevecki/O Estado

Decoração em estilo clássico tem peças importadas, um investimento de 250 mil euros.
As viagens de trem, geralmente bucólicas, ganham características de glamour no Paraná. É que acaba de ser lançado o primeiro trem de luxo do Brasil, o Great Brazil Express, um projeto ousado que consumiu investimentos de cerca de R$ 2,5 milhões oriundos da iniciativa privada. Entre os parceiros deste negócio estão o empresário brasileiro Adonai Aires de Arruda, presidente da Serra Verde Express, empresa que administra há dez anos o trem turístico Curitiba-Paranaguá, além do belga Thierry Nicolas, fundador da Transnico International Group, operadora de turismo ferroviário, e do sueco Thomas Glenndahl.

O trem de luxo começa a operar no dia 23 de abril e vai passar por quatro cidades paranaenses - Ponta Grossa, Irati, Guarapuava e Cascavel - em um percurso total de quinhentos quilômetros em dois dias. São dois vagões, com capacidade para 44 passageiros e decoração que representa um investimento de 250 mil euros. Inspirado no famoso Orient Express (trem que atualmente faz o percurso Paris - Istambul), o interior do vagão ganhou estilo clássico, com carpete, cortinas de seda, abajures, mesas de três e quatro lugares, assentos estofados, quadros - muitas das peças importadas -, além de bares e janelas panorâmicas. “Apesar de ser inspirado no Orient Express, a decoração recebeu um toque mais brasileiro”, comenta Thierry Nicolas.

O serviço de bordo é feito por comissários bilíngües e trilingües. O cardápio não inclui almoço e jantar, mas contém frutas, petiscos, salgados, doces e bebidas que serão servidos conforme o horário do percurso. Durante a viagem, um guia dá informações sobre as paisagens e atrativos dos destinos que desfilam pelas janelas do trem.

Segmento de luxo

Foto: Danielle de Sisti

Comissários bilíngües e trilingües assistem os passageiros.
O presidente da Serra Verde Express, Adonai Aires de Arruda, concorda que o projeto é arrojado - há apenas outros dez trens de luxo no mundo, em países como Espanha, França, Inglaterra, Estados Unidos, Canadá e África do Sul, e o Brasil ainda é incipiente no turismo de luxo. Porém, o empresário diz ter muitos motivos para apostar no sucesso do empreendimento no Paraná. “Fizemos pesquisas prática e técnica, visitando diversas vezes os destinos pelos quais o trem irá passar e conhecendo tudo que eles oferecem - restaurantes, hotéis, shows - para saber exatamente o potencial de cada um deles”, conta Adonai. “Vimos que o Paraná tem serviços de primeira qualidade, além de belezas e atrativos fantásticos, como o Cânion do Guartelá em Tibagi, Museu do Diamante, folclore italiano em Irati, shows holandeses em Castro, show gaúcho em Cascavel, além das belezas naturais da Serra do Mar. O Paraná não deixa nada a dever para outros grandes destinos”, considera.

Segundo ele, o turismo ferroviário atrai pessoas de todas as idades e classes sociais. Sua experiência de dez anos na operação do trem entre Curitiba e Paranaguá comprovou que o número de pessoas que viajam no vagão econômico é o mesmo que viaja no executivo. A grande maioria opta pelo vagão intermediário, que é o turístico, o que se pode concluir que este passeio, que atrai 135 mil pessoas por ano, dos quais 20% estrangeiros, é destinado principalmente à classe média. Já a expectativa para o trem de luxo é atrair anualmente 2,1 mil pessoas, dos quais grande parte das classes A e B e 70% devem ser estrangeiros.

A ministra do Turismo, Marta Suplicy, que participou do lançamento do trem, na última sexta-feira, se mostrou satisfeita com o fato de o Paraná entrar para o segmento de luxo que, segundo ela, apesar de novo no Brasil já cresce mais de 10% ao ano e fomenta a visitação internacional no País. “Uma família estrangeira, de quatro pessoas, chega a gastar, em média, US$ 50 mil em uma viagem de 13 dias aqui; o Brasil precisa dessas divisas geradas pelo turismo de luxo”, comenta.

Marta informou que o trem de luxo estará no material de promoção turística do ministério que será distribuído internacionalmente. Só nos Estados Unidos, o País investe US$ 6 milhões em divulgação.

Trem é parte de um roteiro de até dez dias


Trem de luxo: projeto ousado
que promete alavancar o
turismo classe A no Paraná.

O Great Brazil Express vai percorrer cerca de quinhentos quilômetros em dois dias, passando por quatro municípios paranaenses - Ponta Grossa, Irati, Guarapuava e Cascavel. Porém, esta viagem é apenas uma parte de um roteiro maior, que pode ser feito em 8 ou 10 dias e que abrange 11 cidades do Estado mais o Rio de Janeiro e inclui deslocamentos aéreo, ferroviário e rodoviário. O programa tem início no dia 23 de abril.

Como a idéia é atrair principalmente o turista estrangeiro, as duas opções de roteiro têm início com o desembarque no Rio de Janeiro, principal portão de entrada dos viajantes oriundos do exterior.

Na programação, os mais importantes pontos da capital fluminense, como Corcovado, Pão de Açúcar, Marina da Glória; ícones turísticos de Curitiba e outros atrativos dos municípios de Ponta Grossa, Castro, Cascavel, Morretes, Antonina, Piraquara, Guarapuava, Irati, Tibagi e Foz do Iguaçu.

O roteiro completo custa entre R$ 5,5 mil a R$ 10 mil, incluindo hospedagem em hotéis cinco estrelas, deslocamentos (aéreo doméstico, ferroviário e rodoviário), todas as refeições e tíquetes para os shows previstos na programação (veja detalhe nesta página).

Inicialmente serão feitas duas viagens por mês, mas a expectativa é ampliar para quatro ainda neste primeiro semestre. Para quem não quiser fazer o percurso todo -8 ou 10 dias - há outras opções, como iniciá-lo a partir da viagem de trem, ou seja, excluindo a programação no Rio de Janeiro e em Curitiba; começar o roteiro em Curitiba ou ainda deixar de fora Foz do Iguaçu.

Os pacotes são comercializados pelos escritórios da Great Brazil Express, empresa que opera o trem de luxo de mesmo nome, presentes em San Francisco (EUA), Bruxelas (Bélgica), Amsterdã (Holanda), Estocolmo (Suécia) e Curitiba, por meio de operadoras locais. (DS)

Investimentos incrementam cidades do roteiro

Ao todo, o Ministério do Turismo investiu R$ 10,5 milhões nos municípios que fazem parte do roteiro do trem de luxo. O Rio de Janeiro recebeu o maior montante: R$ 3,8 milhões; Curitiba, R$ 3 milhões, que serão destinados à sinalização turística, projetos de infra-estrutura para o turismo e implantação do Parque do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, e Foz do Iguaçu, R$ 149 mil para projetos de infra-estrutura voltada ao turismo.

Guarapuava ganhou investimentos de R$ 600 mil para infra-estrutura do Parque de São Francisco da Esperança e construção do Parque das Cavalhadas; R$ 150 mil foram investidos no parque aquático de Irati e R$ 334 mil em Piraquara (revitalização de um centro de eventos e projetos de infra-estrutura). Ponta Grossa recebeu R$ 200 mil e Tibagi, R$ 350 mil.

E na última sexta-feira, a ministra Marta Suplicy anunciou o repasse de R$ 9,1 milhões para Morretes, destinados à revitalização das igrejas de São Sebastião e São Benedito, construção de ciclovia, saneamento básico e iluminação pública.



About Author

Advertisement

Postar um comentário

 
Top