Cesar Mori Junior Cesar Mori Junior Author
Title: A VOLTA DO TREM MINEIRO
Author: Cesar Mori Junior
Rating 5 of 5 Des:
A ANTIGA PREFEITA DE BARRA MANSA HOJE DEPUTADA, ACREDITA QUE ESTE PROJETO É VIÁVEL E TEM GRANDE VALIA SOCIAL... “Caminho do ferro mandaram...

A ANTIGA PREFEITA DE BARRA MANSA HOJE DEPUTADA, ACREDITA QUE ESTE PROJETO É VIÁVEL E TEM GRANDE VALIA SOCIAL...

“Caminho do ferro mandaram arrancar;
Velho maquinista com seu boné;
Lembra o povo alegre que vinha cortejar”

A música “Ponta de Areia”, de Milton Nascimento, retrata bem o sentimento de quem se sentiu meio órfão em 96, quando aconteceu a última viagem do Trem Mineiro, que cruzava os trilhos cariocas e mineiros, ligando Barra Mansa à cidade de Ribeirão Vermelho. Saudosismos à parte, a boa notícia é que o chamado Trem Azul pode voltar. O “Movimento pela Volta do Trem Mineiro” teve início em julho de 2003 e começa agora a colher seus frutos. A iniciativa foi da deputada estadual do PT, Inês Pandeló, em parceria com as Associações Comerciais e Industrias de Barra Mansa e Quatis e prefeituras das cidades do Sul de Minas Gerais. Assim, surgiu a Associação Rio-Minas Trem Mineiro.

O primeiro passo mais concreto, segundo a deputada, aconteceu recentemente, com a certificação, pelo Ministério da Justiça, da associação como Oscip (Organização das Sociedades Civil de Interesse Público) - o que possibilita o recebimento de verbas. “Para que a volta seja bem sucedida, é preciso todo um processo de organização. Podemos comemorar o certificado como uma primeira vitória”, disse Inês.
O próximo passo é uma reunião no próximo dia 12, em Passa Vinte, para a assinatura de um protocolo de intenções com o Ministério dos Transportes, para a liberação de verbas que financiará um estudo de viabilidade financeira da volta do trem, realizado pelo Coppe/UFRJ, para a implantação do projeto. “Acredito que estudo leve uns quatro meses para que seja apresentado os resultados. A partir daí poderemos ver como será feita a utilização do trem em relação ao turismo, ao transporte de cargas e passageiros e daremos início às ações de implementação e à procura de parceiros para a operacionalização do projeto”.
Quanto às formas de utilização do trem, Inês afirma que “a volta atenderá os desejos da população”. “No contrato de concessão para a Centro Atlântica, o interesse na exploração da ferrovia para passageiros ficou resguardada por uma cláusula que abria uma janela para que pelo menos duas viagens possam ser feitas”, explicou a deputada, acrescentando que os vagões e máquinas serão cedidos pelo Governo Federal. “Após o processo de concessão, muitos vagões foram vendidos, outros depredados. Esses serão reformados para poder atender o projeto”.
Inês falou ainda que em abril (a data certa ainda será confirmada) a Associação Rio-Minas Trem Mineiro realizará em Barra Mansa um seminário para discutir sobre a volta do trem e as formas de fomento ao turismo rural, que será prioridade no trecho que o trem irá percorrer. “Serão discutidas formas de suporte para a viabilização e o incentivo a projetos voltados para o desenvolvimento do turismo rural”, afirmou a deputada. O evento deve contar com a presença de representantes dos ministérios dos Transportes e do Turismo.

Empregos

Geração de empregos em diversos setores ferroviários. Para o diretor do Sindicato dos Ferroviários e diretor de Operações da Associação, Antônio Marcelino, esse é o item de maior importância na volta do Trem Mineiro. Segundo ele, a economia das cidades incluídas no trajeto - Barra Mansa, Quatis, Passa Vinte, Arantina, Andrelândia, São Vicente, Minduri, Carrancas, Itumirim, Lavras e Ribeirão Vermelho - também será favorecida. “A economia será aquecida, principalmente com a volta dos mineiros que vinham à nossa região para fazer compras e passaram a comprar em Juiz de Fora”, disse ele.
Marcelino lembrou ainda que a volta do trem possibilitará ainda que muitas pessoas voltem a ter contato com seus parentes, já que “Barra Mansa e Volta Redonda são um pedacinho de Minas Gerais”. “Tem muito mineiro na região, e o trem facilitava que os parentes se visitassem. Hoje, as estradas que passam pela Serra de Itamonte estão ruins, e o caminho por Santa Rita é quase todo de estrada de chão, o que dificulta muito o acesso. Será uma forma de integrar novamente os estados de Minas e do Rio de Janeiro” .

Trem Regional

A deputada Inês Pandeló falou também sobre o projeto do Trem Regional de Passageiros, que ligará as cidades de Itatiaia a Japeri. Inicialmente o trajeto seria de Barra do Piraí a Japeri, mas Inês conta que um estudo feito pelo BNDES concluiu que havia a possibilidade do prolongamento até Itatiaia. O Trem Regional de Passageiros, que será denominado Trem dos Trabalhadores, terá três pares de horários diários - pela manhã, na hora do almoço e à tarde.
- Essa é uma reivindicação nossa desde o início do governo Lula, que será mais um apoio ao atendimento ao trabalhador, que terá mais uma opção de acesso ao seu serviço. E é também mais um fator de desenvolvimento e integração da região - concluiu a deputada.
Quanto a nós que estamos lutando pela volta da Maria Fumaça, estamos de acordo com a Deputada Inês Pandeló, precisamos nos unir agora ainda este ano de 2009 para que este projeto saia do papel de uma vez por todas.
Cesar Mori Júnior idealizador do Projeto "a volta da maria fumaça."

About Author

Advertisement

Postar um comentário

 
Top