CFVV CFVV Author
Title: Aeromóvel começa a ganhar forma na capital gaúcha
Author: CFVV
Rating 5 of 5 Des:
16/08/2011 - Jornal do Comércio Por volta das 12h40min de ontem, o ministro das Cidades, Mário Negromonte, acionou a primeira perfuratr...



16/08/2011 - Jornal do Comércio

Por volta das 12h40min de ontem, o ministro das Cidades, Mário Negromonte, acionou a primeira perfuratriz que vai trabalhar na construção da via elevada do aeromóvel. A expectativa é que até o final do ano a estrutura e a instalação dos trilhos estejam prontas, para que os primeiros testes possam ser feitos já no início de 2012.

O aeromóvel percorrerá uma distância de 998 metros, entre a estação Aeroporto do Trensurb e o terminal 1 do Aeroporto Internacional Salgado Filho, usando um sistema de veículos leves, não tripulados, que se moverão com propulsão pneumática. Neste sistema, o ar é soprado por ventiladores centrífugos industriais de alta eficiência energética através de um duto localizado dentro da via elevada. O vento empurra uma aleta e o trem se movimenta sobre rodas de aço, apoiadas em trilhos guia.

Em seu discurso, na solenidade que antecedeu o começo oficial da obra, Negromonte afirmou que o conjunto de soluções incluído no projeto de construção do aeromóvel foi decisivo para a aprovação e a liberação dos recursos que somam quase R$ 30 milhões. “Devemos comemorar o uso de uma tecnologia genuinamente gaúcha, que vai permitir que a integração com outros modais viários seja feita com uma tarifa baixa e não subsidiada”, destacou ele. O trajeto do aeromóvel deve ser feito em 90 segundos.

Dois veículos irão operar o trecho, um com capacidade para 150 passageiros e outro com espaço para 300. Segundo os cálculos da Trensurb, o sistema atenderá a um fluxo de 7 mil passageiros por dia e não terá custo adicional para a integração com o trem metropolitano.

O diretor-presidente da Trensurb, Humberto Kasper, ressaltou a economia de energia representada pela adoção do aeromóvel. Segundo ele, o veículo em construção demanda 32 watts por hora para transportar cada passageiro. Os ônibus usam 80 watts, os trens elétricos, 108 watts, e os automóveis, 198 watts. “Temos, ainda, o baixo custo de implantação, estimado em US$ 18 milhões por quilômetro, isso deve fazer com que a obra em Porto Alegre sirva de modelo para muitos outros lugares do mundo”, disse.

Kasper detalhou, ainda, que as obras dentro da estação Aeroporto já começaram e que os pilares pré-moldados também já estão prontos, o que tornará a execução muito rápida. “Provavelmente essa será a primeira obra do PAC relacionada à Copa do Mundo a ser concluída na Capital”, observou.

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, ressaltou que a obra foi apontada, junto à construção do metrô, como fundamental para a preparação da cidade como sede da Copa do Mundo de 2014. A tecnologia que será usada no aeromóvel foi desenvolvida pela empresa gaúcha Coester, um aprimoramento da ideia que surgiu na década de 1960.

About Author

Advertisement

Postar um comentário

Anderson Nascimento disse... 16 de agosto de 2011 23:05

Caríssimos! Com o discurso de futuro e desenvolvimento, sempre vemos idéias novas, grandes projetos, soluções fantásticas para o transporte de passageiros no Brasil. Só uma coisa me intriga, se não conseguimos usar nem as malhas ferroviárias já existentes, por que inventamos outras? Infelizmente, acho que sei a resposta. Custa só US$ 18 milhões, uma pechincha! Alguém sabe quantos trens dá pra colocar nos trilhos com essa ninharia? Isso tudo é claro com o grito que ecoa pelo país, olha a Copa de 2014!
Francamente!

 
Top