CFVV CFVV Author
Title: Um poudo da história das locomotivas V8 de São Paulo
Author: CFVV
Rating 5 of 5 Des:
As v8 em sua maioria tinham uma elegancia particular no que diz respeito a modernidade da época... Era uma característica típica de grandes...
As v8 em sua maioria tinham uma elegancia particular no que diz respeito a modernidade da época... Era uma característica típica de grandes ferrovias... A história da v8 se confunde com a verdadeira finalidade dela em outros países..nos estados unidos por exemplo ela chegou a operar com terceiro trilho..tecnologia até então pertencente ao metrô, mas isso se deveu ao fato que em determinados túneis não era possível as catenárias,ai entrava em ação o terceiro trilho dentro do túnel...


Foi durante o governo Quércia (1987-1991) houve uma tentativa para se revitalizar o transporte de passageiros a longa distância, o que incluiu a reforma de diversos carros e implantação de novos horários de trens de passageiros. Foi dentro desse espírito de renovação que se decidiu quebrar o recorde de velocidade ferroviário brasileiro. A FEPASA e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo - I.P.T. firmaram um acordo no primeiro semestre de 1989 visando ao desenvolvimentos de projetos tecnológicos na área ferroviária, incluindo um que tinha por objetivo operar Trens Rápidos para passageiros usando-se linhas e material rodante já existentes. Dentro do âmbito deste projeto, designado pela sigla TP-160, foi preparada uma composição de passageiros especial, composta de três carros inoxidáveis Budd originalmente fornecidos para a E.F. Araraquara em 1963, mais o carro-laboratório do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo - I.P.T., fabricado pela Budd em 1951. Essa composição foi tracionada pela locomotiva elétrica V8 #6386 fabricada em 1947. Os testes foram precedidos de simulação computacional e efetuados, sob instrumentação completa, num trecho de 12 quilômetros entre Itirapina e Graúna, que, além de ter sido retificado e melhorado entre o final da década de 1960 e o início de 1970, recebeu preparação especial para essa experiência. Os resultados obtidos foram muito bons: foi atingida a velocidade máxima de 164 km/h no dia 16 de maio de 1989, que até hoje permanece o recorde ferroviário brasileiro de velocidade. Contudo, essa façanha não foi conseguida com facilidade: ocorreu uma série de problemas técnicos, como o rompimento dos pantógrafos da locomotiva e queda da tensão elétrica do sistema devido à sobrecarga de energia.

CPTM VOLTARÁ A OPERAR A LOCOMOTIVA ELÉTRICA V8 AINDA EM 2011

SERÃO RESTAURADAS E USADAS NO TRECHO ELETRIFICADO ENTRE ÀS ESTAÇÕES RIO GRANDE DA SERRA-SP E PARANAPIACABA, COM O EXPRESSO TURISTICO. FUTURAMENTE PODERÁ SER USADA EM AMADOR BUENO COM O TREM DE SÃO ROQUE.


Fonte :
Terra fotoblog

About Author

Advertisement

Postar um comentário

Anônimo disse... 24 de março de 2011 21:18

Amigo, sou fã da locomotiva v8 desde que me conheço como gente. Tenho um carinho muito grande pela fepasa, sou nascido em 1981 e não consegui infelizmente pegar os tempos áureos desta linda história que a fepasa tem por si, por minha família que por parte de pai foram todos ferroviários com muito orgulho e por fim de minha cidade de Rio Claro que cresceu ouvindo soar o apito das oficinas e dos trens que por aqui corriam...,saudades, muitas saudades, principalmente dos trens de passageiros tracionados em grande velocidade pelas v8 quando aproximava perto de casa apitando na curva.Como era bom ouvir os trilhos "fazendo aqueles fizz" e a composição passava naquela curva perto de casa quase a uns 80km/hr.

Meu amigo, era e sou louco por tudo aquilo que vivi, infelizmente não consegui realizar meu sonho de ser maquinista, mas gostaria muito de ver uma das poucas que restaram das v8 tracionando uma composição bem grande de carros de passageiros.

Caso isso possa realmente acontecer deixarei meu email de contato.

Grande abraço e terei o prazer de conhecê-lo por simplesmente termos tanto apresso por tudo isso que vemos acabar aos poucos, tenho muita indignação pelos políticos que permitiram toda uma história de nível nacional terminasse desta forma.

Aqui deixo também minha insatisfação, falamos em progresso, meio ambiente, e o que vimos até agora foi totalmente o inverso de uma história que o Brasil tenta construir, sucateando os trens de passageiros, sucatendo as locomotivas elétrica e incentivando o aumento do dióxido de carbono para todos nós respirarmos, enfartarmos com tanta “porcaria” que os carros, caminhões, ônibus e estas locomotivas a DEESEL lançam no ar.....

Parabéns Brasil!!! pelo seu desenvolvimento sustentável, afinal se desse continuidade nos projetos de eletrificação e trens com bons serviços oferecidos como a CIA PAULISTA DE ESTRADA DE FERRO como vc´s iriam arrecadar tantos impostos com combustíveis,pedágios e outros tantos mais...

Cristiano.

 
Top