CFVV CFVV Author
Title: A volta do turismo sobre rodas de aço !
Author: CFVV
Rating 5 of 5 Des:
Matéria saiu em 14/08/10 - (Diário do Vale) O Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura Terrestre) cedeu os seis vagões que irão compo...
Matéria saiu em 14/08/10 - (Diário do Vale)

O Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura Terrestre) cedeu os seis vagões que irão compor a nova versão do Trem da Mata Altântica à prefeitura de Angra dos Reis. O pedido foi aceito há cerca de 20 dias e o termo de cessão foi publicado no Diário Oficial da União.Com a cessão dos vagões, a expectativa é que após o processo eleitoral a licitação de operação do trem e das reformas necessárias seja realizada. A previsão é que as viagens aconteçam em sete meses, de acordo com as informações do presidente da TurisAngra (Fundação de Turismo de Angra dos Reis), Marcus Veníssius Barbosa. Segundo ele, tudo dependerá apenas do final período das eleições de outubro.- O mais difícil nós conseguimos. Temos os seis vagões que serão usados para o transporte, e mais três que farão parte do maquinário reserva. Também já conseguimos um investimento de R$3,6 milhões. No entanto, para que o dinheiro seja liberado pelo Ministério do Turismo é preciso esperar o período eleitoral ser finalizado - explicou.


O recurso já carimbado para o empreendimento será usado, segundo Barbosa, na reforma dos vagões e na construção de uma estação em Angra e na reforma de uma outra em Lídice, distrito de Rio Claro.A intenção é que o trem retome inicialmente sua rota original Angra-Lídice (40 quilômetros), mas o trajeto não deve ficar só nesta extensão. Embora os vagões tenham sido cedidos à prefeitura de Angra, o projeto integra também os municípios de Rio Claro e Barra Mansa.- Na verdade a intenção é inicialmente manter a mesma rota ferroviária, mas não o mesmo percurso. Os turistas agora poderão partir de Barra Mansa e desembarcar por lá também. Será uma rota rodoferroviária, pois a linha férrea será de Angra até Lídice, com o trajeto de Lídice à Barra Mansa sendo feito por micro-ônibus. Vamos integrar a região litorânea à região do Médio Paraíba - afirmou o presidente da TurisAngra.A integração rodoferroviária, no entanto, deverá ocorrer somente por algum tempo: a pretensão é de que, depois que a primeira parte do trajeto já esteja vigorando, a linha ferroviária também chegue à Barra Mansa.- Planejamos que os recursos alcancem a casa dos R$5 milhões, isso já incluído Barra Mansa como trajeto ferroviário - previu.Ainda não há uma definição sobre qual empresa fará a operação do trem, já que somente após as reformas as prefeituras poderão contratar o serviço terceirizado.Concessão Pública Marcus Veníssius Barbosa lembrou que já existe uma empresa que utiliza os trilhos da rota, mas somente para o transporte de cargas e que, pela concessão que a empresa já possuiu, ela é obrigada a destinar duas vezes por dia horários para a passagem de trens com passageiros.- O órgão que regulamenta o transporte é a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e é ela que faz todas as exigências para a retomada da utilização desse trem. O que acontece é que os trechos são concedidos.


Atualmente quem explora o trajeto é a FCA (Ferrovia Centro - Atlântica) e nossa intenção é que talvez ela própria possa operar o trem turístico, mas desde que a concessão seja pública e não particular - afirmou.O presidente da TurisAngra lembra que o trem turístico funcionou até 1996 e que, por ser explorado por uma empresa privada quando o passeio foi interrompido, nada podia ser feito pelas prefeituras para que o passeio pudesse ser retomado. - Nossa meta é que a concessão seja pública e dada às cidades interessadas, ou seja, Angra dos Reis, Rio Claro e Barra Mansa. Dessa maneira, evitamos deixar esse patrimônio cultural nas mãos de particulares e correr o risco de o passeio ser interrompido a qualquer momento - esclareceu.Empreendimento deverá aquecer turismo das cidades Além do trajeto facilitado e da integração dos municípios, a retomada do transporte de passageiros por meio de trem do Médio Paraíba à região litorânea cria a expectativa de que as cidades invistam ainda mais em outras formas de turismo.- Angra é ponto de atração de turistas no verão em potencial, por causa das praias. Com a retomada do trem, a prefeitura pretende investir na recuperação do Centro Histórico da cidade e manter o turista por aqui para além das datas sazonais. O Trem da Mata Atlântica explora a beleza natural e é um ótimo meio de atração de novos públicos que não querem só a praia - disse.O prefeito de Barra Mansa também destacou que para o município o Trem da Mata Atlântica será uma opção não só de transporte alternativo para o litoral, como também de atração de novos públicos para a cidade.- Sem dúvida, estamos felizes com os passos que vem sendo dados com o projeto. A aquisição dos vagões é o início de um investimento que deixará a região do Médio Paraíba ainda mais unida à Costa Verde.


Temos certeza que todos vão ganhar, e Barra Mansa fica feliz em participar da retomada deste projeto tão importante para o Estado - disse.Conheça o projeto para o trem Além da locomotiva, o Trem Ecoturístico da Mata Atlântica será composto por seis carros. Serão cinco carros de passageiros, com capacidade para 48 pessoas sentadas em cada um, todos equipados com bancos estofados, janela panorâmica, ar-condicionado, sistemas de vídeo, som e vigilância, dois sanitários com tratamento químico de efluentes e coleta seletiva de lixo.O trem terá ainda um carro restaurante, com 48 lugares e serviço de buffet durante o percurso, além de um carro de apoio ao restaurante, com toda infraestrutura para os serviços de cozinha. Para garantir conforto e segurança, a operação da linha será realizada por empresa especializada no ramo de administração de trens de passageiros. A empresa será escolhida pelas prefeituras.

About Author

Advertisement

Postar um comentário

 
Top